I'm safer on an airplane

than a world without love.

Sem motivo e nem razão
Sem acelerar, apenas freio
Não mais evitar a contenção
De partir o que era dois ao meio

Venho tentando reagir
Dar um tempo, espairecer
Lembrar de ti e intervir
Antes mesmo de meu devaneio crescer

Mas acabo sendo sempre o lado mais fraco
Na guerra contra meu inconsciente
Mesmo que por acaso, em meu peito te lacro
Não há como ignorar, mesmo que veemente

Te quero e porque te quero, me contenho
Se me contenho, indiferente permaneço
Engulo palavras e até me retenho
Mas acabo me atrevendo e a ti as ofereço.

Era só mais um como outro qualquer. Até eu ouvir sua voz pela primeira vez.
Era só mais um como outro qualquer. Até eu ver seus olhos castanhos bem de perto.
Era só mais um como todos os outros. Até eu me apaixonar pelo seu sorriso.
Era só mais um como todos os outros. Até eu sentir seus braços ao meu redor.
Até eu me pegar sonhando acordada, pensando sem querer, almejando a presença, nem que fosse apenas ver. Percebi, então, que poderia facilmente dar um nome àquela confusão. Em um amontoado de nuvens sobrevoavam borboletas, tremiam as mãos e a insegurança seguia no mesmo ritmo do nervosismo. Tudo isso terminava após um beijo seu.

Featured

About this blog

About me

Minha foto
Danielle
Escrevo por escrever palavras que já foram ditas ou pensadas (por mim mesma).
Visualizar meu perfil completo

Twitter Updates

Followers